Para fora do buraco | World Challenge

Para fora do buraco

Gary WilkersonOctober 7, 2013

Quando adolescente, eu passava as férias ajudando em um rancho no Texas. O capataz, Jimmie, era um homem grandão e forte que tinha visão fraca, mas sabia fazer qualquer tipo de coisa. Jimmie me ensinou como cortar e carregar feno por exemplo, e como inserir pílulas nas partes das vacas. (Sim, Jimmie sabia muito de muita coisa.)

Um dia estávamos limpando o terreno junto a um buraco de mais ou menos dois metros de profundidade, para cavar um poço. Enquanto fazíamos uma pausa para beber água, Jimmie avaliou mal onde estava o buraco e caminhou para ele. A minha boca estava muito cheia de água para lhe avisar – e Jimmie caiu no buraco. Eu fiquei com medo de ele ter quebrado uma perna devido à queda; apressei-me para ajudar – mas ao olhar, vi Jimmie saindo normalmente para fora do buraco. Era como se nada houvesse acontecido. Ele nem se limpou; só me acenou para voltar ao trabalho.

Essa era a vida de Jimmie. Ele era um sujeito com vários buracos à frente diariamente. Jimmie não estava apenas com diminuição da visão – ele também estava perdendo a audição. Porém Jimmie saia de todos os buracos nos quais caía, e continuava indo em frente como se já esperasse que tudo fosse acontecer. Para mim, Jimmie é um exemplo de fé para todos no corpo de Cristo. Cada um de nós tem buracos, poços, covas nos quais caímos – essa é a vida – mas a palavra de Deus mostra que como cristãos, devemos encarar os nossos buracos ou abismos através dos olhos da fé.

Talvez você esteja preso em um poço agora mesmo. Isso pode ser um relacionamento difícil, um buraco financeiro, uma doença – algo no qual você foi pego há um tempo – e você pergunta se algum dia conseguirá sair fora disso. Aquele seu antigo caminhar íntimo com Cristo parece um sonho distante. Mas Deus tem algo poderoso para lhe dizer a respeito deste seu poço de agora.

A história de José em Gênesis contém tudo que temos de saber a respeito dos poços nos quais caímos. Duas palavras se repetem ao longo da narrativa de Gênesis em relação a José: “sonho” e “poço”. Quase toda vez que José tinha um sonho, isso o levava a um poço. Alguns buracos são cavados por quem deseja nos ver cair ou nos eliminar por algum motivo. Isso aconteceu para José: seus irmãos quiseram isso para ele, e o lançaram a uma cisterna literal esperando vê-lo morrer.

Um segundo tipo de poço é aquele que criamos para nós mesmos. Podemos voltar a um velho pecado ou a um padrão não saudável de vida, que nos deixa andando em círculos. E nos vemos à deriva, vagando, nos movendo cada vez mais longe da vida abundante que Deus concedeu. Outros cristãos podem dizer que merecemos o buraco no qual estamos, pois o criamos.

Não importa em qual tipo de buraco estamos. O nosso misericordioso Senhor nos tira de cada um deles: “Qual dentre vós será o homem que, tendo uma ovelha, e, num sábado esta cair numa cova, não fará todo o esforço, tirando-a dali?” (Mateus12: 11). Jesus diz, “Não importa se foi você quem criou o abismo. Nem mesmo a lei Me impedirá de te tirar dele”.

Alguns poços são simplesmente jogados contra nós. Talvez você venha de um lar conturbado onde reinava o caos. A história de José parece episódio de filme policial. Um dos seus irmãos era estuprador. Outros eram assassinos que tentavam matar José e acabaram vendendo-o à escravidão. Mesmo Jacó, o próprio pai, se omitiu não interferindo quando José era atormentado pelos irmãos. José pagou penalidade pela conturbação da família, apesar de não ter feito nada por merecê-la.

Isso descreve você? Você está longe de casa há anos, mas ainda suporta cicatrizes mentais provenientes do caos familiar. Ou talvez o caos esteja no seu local de trabalho, onde pecados intencionais de outras pessoas lhe afetam diretamente. Isso aconteceu com José, quando a mulher de seu patrão tentou lhe seduzir. Quando José a rejeitou, ela mente a respeito dele vingativamente e ele é lançado em outra cisterna, uma cela do corredor da morte.

Mas as escrituras deixam claro que em cada poço onde José caia, Deus estava agindo.

Uma quarta cisterna é do tipo que Deus orquestra para aquilo que chamo de nossa “grandeza acelerada”

Este tipo de poço é “aguentar firme”. Deus nos põe lá para acelerar Sua obra santa em nossos corações com grande intensidade. Cada vez que José era lançado numa cova, isso acelerava o processo de Deus colocando-o em posição para alcançar os propósitos do Seu reino. Eu ouço Deus dizendo isso de José:

“Quero alguém disposto a suportar fielmente cada um dos testes, tal que Eu possa posicioná-lo estrategicamente para salvar o Meu povo. Escolhi José para esta tarefa. E a maneira mais rápida para torná-lo líder no Egito é colocá-lo numa cisterna para que seja vendido como escravo. Ele então será promovido à casa de Potifar. E aí será lançado em outra cova. Eu o reposicionarei novamente, desta vez como Minha voz ao faraó”.

Pense na incrível história da vida de José. Eis um pastor adolescente que em poucos anos se torna o segundo em comando do maior império do mundo. Isso me dá vontade de orar dizendo, “Deus, lance-me neste tipo de poço! Me tire da zona de conforto. Quero Te ver operando os Teus propósitos na minha vida”.

Você está desejoso de dizer, “Senhor, alegremente irei onde quiseres que eu vá. Se estou neste abismo por Teus propósitos, então me dê olhos de fé para ver isso”? Conheço muitos cristãos que têm fome deste tipo de fé. Eles clamam, “Senhor, tem de haver algo mais neste caminhar cristão. Não quero apenas ocupar lugar na terra. Quero que operes Teus propósitos na minha vida, para trazer impacto ao Teu reino”.

Mas conheço a mesma quantidade de crentes que estão com medo de sonhar em fé. Alguns prefeririam permanecer na cisterna atual a arriscar um movimento para patamar mais elevado. Eles sabem que há um preço para seguir a Deus, um sacrifício que envolve o desconhecido, e eles tremem em ter de pagá-lo. Os terríveis sofrimentos de Jó fizeram com que ele temesse os sonhos que Deus lhe trazia: “Dizendo eu: consolar-me-á o meu leito... então, me espantas com sonhos e com visões me assombras” (Jó 7:13-14).

Mas quanto maiores forem os nossos sonhos para a obra de Deus, maior será a nossa cisterna. Se crermos em Deus para um casamento que reflita a Sua glória, então nós e nossos cônjuges seremos testados além dos limites. A verdade é que a fé nos lança a um abismo quase todas as vezes. Se sonharmos com Deus usando as nossas vidas, então é melhor nos prepararmos, pois um poço pode estar adiante.

Eu lhe pergunto: você arranja a sua vida para nunca ficar pressionado nem oprimido, para nunca encarar algo maior do que aquilo com o qual possa lidar? Você está evitando a cisterna de Deus para a grandeza acelerada? Se você deseja mesmo aguentar firme, eu lhe aconselharia a fazer várias coisas:

  • Não seja amado. Gênesis 37:3 diz, “Ora, Israel amava mais a José que a todos os seus filhos”. Os irmãos de José tinham ressentimento dele por isso. Mas a única coisa que José fez para ganhar o amor do pai – e o ressentimento dos irmãos – foi amar a Deus e sonhar grandezas para o Seu reino. Isso provocou ondas.
  • Não tenha um sonho. Quando Gênesis 37:5 diz, “Teve José um sonho”, não significa alvo para uma conquista da humanidade; Deus falou a José diretamente naqueles sonhos. E quando José os conheceu não se encolheu. Ele permitiu que os sonhos desencadeassem uma ambição piedosa. Avalie este fato: a palavra sonho aparece 113 vezes na Bíblia – e mais de 30 destas passagens envolvem José. Ele cria em Deus para grandes coisas – e assim devemos nós fazer.
  • Não relate o seu sonho. Gênesis 37:5 diz, “Teve José um sonho e o relatou a seus irmãos; por isso, o odiaram ainda mais”. Muitos de nós temos vergonha dos sonhos que Deus colocou em nossos corações, e parte desta vergonha vem do medo quanto à opinião dos outros. Mas enquanto não declararmos a nossa ambição piedosa, ela não será realizada. Dar voz ao nosso sonho em si é um passo de fé.
  • Não continue perseguindo o seu sonho após ele ter sido rejeitado a primeira vez. Durante anos eu tinha o sonho de ter uma igreja vibrante, um corpo vivo assim como a Igreja Springs no Colorado que pastoreio. Mas quando declarava este sonho eu podia ver a dúvida nos olhos das pessoas: “Quem ele pensa ser para alcançar esta cidade?”. Teria sido fácil eu atolar nas dúvidas deles; antes eu só havia pastoreado igrejas pequenas. Graças a Deus, o Espírito me encorajou a continuar dizendo “sim” ao sonho que Ele havia colocado em mim – e a confiar nEle para torná-lo realidade.
  • Não mantenha a sua integridade. Não há nada como se entregar à licenciosidade para destruir um sonho dado por Deus. José poderia ter cedido ao pecado quando a mulher de Potifar tentou seduzi-lo. Mas quando você está vivendo para Deus, fará qualquer coisa para evitar entristecê-Lo. Sim, Deus vai lhe tirar do poço da iniquidade – mas se você continuar escolhendo pecar irá afogar o seu amor por Ele.
  • Não leve cristãos comprometidos com o mundo a sentirem-se condenados por sua busca fiel. A integridade de José é que enfureceu a mulher de Potifar. “Como, pois, cometeria eu tamanha maldade e pecaria contra Deus?” (Gênesis 39:9). Ele estava falando em favor da justiça quando a rejeitou.

Se você está resolvido a evitar uma cisterna – orquestrada por Deus, cumpra todos os cuidados que listei aqui. Mas se você quer que o coração dEle se deleite na sua fé, você enfrentará qualquer temor apenas para estar na rota dEle para a grandeza acelerada. É hora de você buscar o sonho que Deus lhe deu tempos atrás. Você pode estar entalado num poço – mas o que você vê como uma longa provação pode ser Deus lhe levando à perseverança e resistência para o seu honroso trabalho para Ele. Você teme sonhar? Peça a Deus para Ele transformar o seu medo em fé. Você vem de um lar desarticulado? Confie nEle lhe dirigindo a despeito de cicatrizes ainda presentes. Você tem medo por haver pecado por tanto tempo? Lembre-se da promessa dEle de ir buscar toda ovelha que tenha se perdido. Deus dá boas vindas a todo pecador que adentra a vida de fé. E irá tirar de todo buraco que um servo que confia nEle vier a cair. Ele procura fé como aquela do meu amigo Jimmie – alguém que cai, mas nunca para de olhar à frente. Não deixe que coisa alguma atrapalhe o alto chamamento para o qual o Senhor o está convocando. Ele irá lhe erguer de todo buraco – e deseja lhe estabelecer sobre uma rota acelerada que traga glória ao nome dEle.

Download PDF